É moralmente correto matar animais por comida?


por Caroline Grindrod,

Recebo ameaças predatórias e intimidadoras de pessoas que são apaixonadamente contra a matança de animais; apenas para situar; eu tenho um negócio de carne.

Eu tenho pensado sobre a moral de matar animais por comida muito mais do que qualquer pessoa, e gostaria de compartilhar algumas ideias com você.

Matar animais não é algo que eu faça alegremente; é preciso uma pessoa sem coração ou alguém que tenha assimilado completamente o processo com sua consciência, para administrar um negócio de carnes - eu ainda não posso assistir Watership Down (no Brasil: "A Longa Jornada") sem chorar!

Eu fui educada na natureza e desde cedo estava envolvida na agricultura. Em uma fazenda de gado, a razão pela qual você mantém os animais é produzir alimentos; principalmente - além de laticínios - o gado deve morrer pelo alimento a ser produzido. Você não apenas leva regularmente animais para abater ou intervém para acabar com o sofrimento de um animal doente, mas, como guardião de várias centenas de animais, você verá animais que simplesmente morrem de "causas naturais".


Eu assistia desenhos de animais e chorava da mesma maneira que qualquer outra criança, mas nunca tive a ilusão de que os animais pensavam ou agiam como os humanos. Quando você lida com animais diariamente, você percebe o nível de consciência deles e a compreensão do mundo que eles ocupam. Os animais variam entre as espécies, mas são ligados e impulsionados por hormônios e mais por instintos, e menos por capacidade cognitiva, que os seres humanos.

Acredito que, com base em uma vida inteira trabalhando com animais, que os animais não experimentam emoções no verdadeiro sentido da palavra. O que eles experimentam são respostas instintivas que se parecem com emoções como medo, raiva e prazer.

Eu amo a explicação de Eckhart Tolle em "A Nova Terra". Ele sugere que todos os organismos são operados por uma inteligência universal que é o princípio de organização que bate em nossos corações, guia pássaros em todo o mundo e transforma uma bolota em carvalho.

Nossa inteligência corporal é inseparável dessa inteligência universal. É responsável pela resposta do organismo ao meio ambiente na forma de reações primordiais instintivas.

Ao contrário dos animais, os seres humanos têm egos que geram nossos pensamentos. Emoções vêm da nossa resposta a uma situação externa depois de passar pelo filtro do nosso ego. É por isso que duas pessoas podem perceber o mesmo evento de maneira diferente; pode-se pensar que é "bom" o outro "ruim".

O que os animais (e às vezes humanos) experimentam é uma resposta primordial a estímulos externos, como fugir de um predador - podemos interpretar isso como "correr com medo", mas o que "medo" realmente significa para um animal que não planeja o futuro ou pensa no passado?

Como todas as grandes tradições de sabedoria ensinam, estar completamente no presente permite que você esteja livre das correntes das emoções descontroladas e do sofrimento associado.

As ovelhas que choram depois que os cordeiros são desmamados não necessariamente o fazem porque imaginam o terrível destino de seus filhotes amados; seus poderosos instintos maternais embutidos estão aguçados porque retiraram o jovem do lugar que estavam conectados. Muitas ovelhas nem percebem quando um dos dois cordeiros está faltando; a maioria das ovelhas não conta! Quando os animais perdem um companheiro, duvido que estejam deprimidos porque estão imaginando um futuro solitário pastando nos campos; eles sabem que alguma coisa mudou e eles não gostam, seu rebanho desapareceu e eles se sentem vulneráveis. Animais ruminantes são criaturas de rebanho e sua proteção vem de ser parte de um grupo.

Ocasionalmente costumávamos pegar ovelhas que chamamos de "perseguidoras de ambulância" na fazenda. Essas fêmeas briguentas beliscavam os cordeiros das outras ovelhas e corriam freneticamente atrás do trailer, enquanto cada nova família era levada para o campo seguinte. Essas ovelhas têm fortes instintos e se tornaram ótimas mães quando têm seus próprios cordeiros, mas não entendem completamente o que estão fazendo, suas ações são impulsionadas por um fluxo de hormônios e o instinto de proteger algo que ainda não havia nascido.

Eu possuí e criei dezenas de diferentes raças e tipos de cães; alguns animais de estimação, alguns de trabalho; todos eles agem de forma diferente. Alguns cachorros sentirão a perda do filhote por um tempo, mas a maioria volta ao normal depois de um dia. Quando meu cachorro volta para a fazenda e encontra sua mãe e sua irmã, ele certamente não lhes dá um abraço e um beijo - eles usam as mordidas para demonstrar que não têm ideia de que estão relacionados. Quando meu Jack Russel cheirou o corpo de sua companheira de longa data (nosso amado Collie que infelizmente morreu recentemente), ele ficou vagamente curioso por um momento, mas logo voltou à tarefa de me lembrar que era hora de dar uma volta, nós, por outro lado, estávamos em arrasados!

O nível de inteligência varia amplamente nos animais; os elefantes e os chimpanzés são altos na escala, na minha experiência ovelhas e perus são mais baixos! Todos eles merecem nosso respeito e gentil tratamento. Estou simplesmente ressaltando que pode ser errado supor que os animais analisam e contemplam a morte da mesma forma que os humanos.

Eu vi ovelhas fazendo bom uso das propriedades isolantes de um membro morto do rebanho quando elas se encontram deitadas no corpo confortável. Já vi animais mortos a tiros na frente de outros animais, eles percebem que o comportamento daquele animal não é o que eles esperam de um membro funcional do rebanho, mas estou convencida de que eles não estão pensando; 'oh meu deus, meu companheiro acabou de ser assassinado, talvez eu seja o próximo!' Animais não são chocados pela morte, os humanos são.

Agora, isso não significa, sob nenhuma circunstância, que seja correto tratar animais de forma ruim ou cruel. Eu sinto muito dificuldade ao ver imagens de abuso de animais da mesma forma que a maioria, e me sinto culpada o dia todo se eu atropelar um animal na estrada - eu certamente sempre vou verificar que não resta sofrimento.

Eu conduzi inúmeros trailers carregados de animais para o matadouro local - geralmente, eles são "estabulados" em currais com camas na noite anterior para permitir que eles se instalem. Na chegada, eu silenciosamente conduzo nossos animais para as grandes canaletas dentro do matadouro, onde os outros animais estão deitados e se alimentando. Esses animais não estão estressados ou sentindo a morte iminente pelo cheiro de sangue. Tenho certeza de que existem muitos matadouros onde a experiência é diferente, mas como uma fazendeira / empresa de carnes, decidimos qual sistema apoiar, assim como um indivíduo matando sua própria comida decidiria se é melhor atirar em um animal na cabeça ou cortar sua garganta. O projeto de infraestrutura do matadouro e o manejo dos animais à medida que se aproximam do abate podem fazer uma enorme diferença na minimização do estresse e na rapidez e eficiência com que um abate pode ser realizado.


Como clientes, VOCÊ tem a opção de influenciar essa decisão, se você tiver tempo suficiente para comprar sua comida de pessoas que se importam.

A maioria das pessoas não está exposta a esse nível de contato com animais de fazenda ou animais selvagens, de forma que nunca percebem a diferença entre humanos e animais. Se você assistir a qualquer um dos incríveis programas de vida selvagem de David Attenborough, verá a dura realidade e a beleza dos ecossistemas em ação.

Veja este clipe, é um ótimo exemplo do processo natural amoral de procurar comida.



Milhões de animais estão morrendo e nascendo no ciclo natural da vida em todo o mundo o tempo todo - nós simplesmente não nos vemos mais como parte deste processo.

Por um lado, alguns dizem que "devemos superar o desejo de tirar a vida de outro animal" porque somos moral e conscientemente superiores. Na próxima respiração, dizemos que sentem dor e perda como os humanos e devem ser tratados como iguais. Estou confusa quanto às regras.

Alguns consideram o ato de administrar animais de fazenda uma forma de escravidão, porque eles não estão livres para serem selvagens e são forçados a uma morte prematura. No entanto, muitas vezes essas mesmas pessoas compartilham vídeos como este…



É aparentemente totalmente aceitável manter os cães (que geneticamente ainda são lobos) em lares abafados e quentes, alimentá-los com uma dieta que eles não são projetados para comer e vesti-los em trajes extravagantes! Estamos mantendo-os contra a vontade deles? Ou estamos "administrando" eles para mantê-los seguros?

Sim, os cães são domesticados e gostam de estar perto de humanos; mas também o gado e as ovelhas - especialmente quando os alimentamos! Não, não podemos simplesmente deixar os cães correrem como se estivessem na natureza, eles serão atropelados; assim como o gado e as ovelhas. A maioria dos animais domésticos e cães pode escapar se eles realmente quiserem, mas nós oferecemos comida e proteção em troca de alguma coisa.

Mas nenhum animal escolheria ser morto em troca de proteção ou comida, seria? Vamos deixar de lado o fato de que eles simplesmente não têm a capacidade mental de tomar uma decisão ponderada. Se eu fosse uma vaca, escolheria levar uma bala na cabeça ou ser comido viva por uma alcateia de Leões? Humm…

Todos os animais morrem em algum momento. Os animais domésticos têm poucos predadores naturais, então, como criadores de gado, nós assumimos o papel de predador, mas ao invés de destruí-lo, nós o deixamos inconsciente antes de liberar a pressão arterial. A morte alternativa em uma situação doméstica é "velhice", um longo fim seguido por falência de órgãos ou fome. Isso não é nada "natural", na natureza algo iria aparece e acabar com você!

As vacas nem existiriam se não as comêssemos em primeiro lugar. É claro que seria maravilhoso se todas as áreas selvagens do mundo pudessem ser liberadas naturalmente e pudéssemos cultivar todos os nossos alimentos a partir da agricultura baseada em plantas. Não seria necessário matar. Bem, infelizmente não é nem uma opção.

Terra arável é pastagem ou floresta que foi arada para permitir o crescimento de vegetais ou cereais. Antes de se tornar terra arável, era um ecossistema próspero e diversificado repleto de criaturas diferentes, todas confiando umas nas outras para a alimentação. Esses ecossistemas fornecem serviços ao nosso planeta, como a troca de carbono da atmosfera pelo oxigênio que respiramos e que geram chuvas.

A maioria das terras aráveis ​​convencionais é depletada de nutrientes, libera toneladas de carbono na atmosfera e só produz alimentos porque nós irrigamos, adicionamos fertilizantes petroquímicos e pulverizamos as 'pragas' (também conhecidas como vida selvagem) com venenos; Tudo isso cria um desastre em nossos rios e oceanos. Em terra onde isso vem acontecendo há anos, as colheitas muitas vezes simplesmente falham; não é um plano de longo prazo!

Em terras aráveis ​​orgânicas e regenerativamente geridas, são utilizadas técnicas como o cultivo de coberturas e alternância de pastagens. Os leites de pastagem são pastados pelos animais para repor naturalmente a fertilidade, a diversidade no sistema minimiza as pragas e não requer insumos artificiais. Os alimentos vegetais deste sistema são mais saudáveis ​​e mais sustentáveis, mas ainda precisam que os cadáveres ou o estrume dos animais continuem produzindo alimentos a longo prazo - esses animais 'usados por padrão' não deveriam ser usados ​​como alimento?

Globalmente, cerca de 40% desses alimentos vegetais serão fornecidos a animais em sistemas intensivos; Desenvolvemos a agricultura animal movida a combustíveis fósseis que utiliza a superprodução de cereais e alimentos vegetais "baratos". Tanto os onívoros quanto os vegetarianos comem diretamente cerca de 60% dos alimentos vegetais desses sistemas amplos; Todos nós podemos influenciar qual sistema deve ter nosso apoio quando compramos alimentos orgânicos ou convencionais.

Cerca de metade da carne do mundo é criada no pasto. Muito da paisagem do nosso mundo simplesmente não pode cultivar plantas e vegetais, por isso é a única fonte confiável de alimento para muitos países em desenvolvimento. Mesmo os animais criados em fazendas podem ser criados pela metade de sua vida neste pasto 'padrão' antes de irem para as unidades de 'acabamento'.

Pastagem saudável é um ecossistema ocupado por si só, vivo com a vida. Em um acre de pasto saudável, há a massa equivalente de uma vaca inteira composta de pequenas criaturas que vivem abaixo do gramado! Acima do solo a vida selvagem é abundante; de ratos de campo, rãs e borboletas a cobras, raposas e águias, todas essas espécies importantes, e muito mais, dependem das pastagens para sua comida ou lar. Terra adequadamente pastada sequestra vastas quantidades de carbono, utiliza metano e reservas de água para uso na seca, filtrando e retardando a passagem da água em situações de chuvas fortes.


Há questões óbvias de sustentabilidade e ambientais com a lavra de terra suficiente para substituir metade do consumo mundial de carne por calorias vegetais equivalentes. Algumas das plantas que foram alimentadas a animais podem ser redirecionadas para seres humanos, mas uma grande quantidade de alimentos para animais é composta de alimentos vegetais não adequados para consumo humano; Há um elemento de desperdício em todos os sistemas alimentares e, em termos de sustentabilidade, faz mais sentido produzir mais alimentos humanos a partir de alimentos vegetais desperdiçados.

Mas deixando isso de lado, há uma grande quantidade de mortes envolvidas na conversão de um ecossistema equilibrado que sustenta milhões de animais em um deserto estéril frequentado por tratores gigantes que viram o mundo de cabeça para baixo com enormes lâminas de metal e pulverizam todos os seres vivos com veneno!

A morte desses animais é totalmente descontrolada e muitas vezes envolve; esmagamento, corte, morte lenta por envenenamento e fome por perda de habitat. Os cadáveres produzidos a partir deste sistema não contribuem para as suas calorias, as suas mortes são desperdiçadas em termos de produção de alimentos.

Uma vaca alimentada com pasto poderia alimentar uma família com proteína adequada por um ano, com leite ou com uma única morte. Conseguir a mesma proteína de uma plantação convencional resultaria na destruição de quase todos os animais que vivem no espaço necessário para cultivar aquela cultura. É virtualmente impossível quantificar a perda de vida desses sistemas aráveis ​​convencionais, mas alguns estudos sugerem que você realmente mata menos animais em uma dieta onívora.

Então você pode ver que não há cálculo simples que diga que é mais sustentável ou que mata menos animais se comermos apenas plantas. Fazer tal afirmação de julgamento simplesmente destaca que você não gastou muito tempo em terras agrícolas, com gado, ou estudou habitats naturais.

Alguns dizem que a decisão de matar animais para carne é sobre 'intenção'; que as mortes que ocorrem como subproduto de um sistema arável convencional não devem ser consideradas, porque não é sua intenção matar esses animais. Diana Rodgers aborda esta ideia maravilhosamente em seu artigo.

Eu diria que se você sabe que sistemas agrícolas convencionais matam milhares de animais silvestres para produzir seu hambúrguer de tofu, então você tem a mesma responsabilidade moral de fazer uma escolha melhor do que um comedor de carne que está escolhendo um pasto. E, francamente, é nossa responsabilidade saber.

Diana Rodgers conta uma história neste artigo de seu marido explicando a sua filha de 10 anos que ficou chateada depois de ver uma ovelha morta; "Ele contou a Phoebe como a ovelha tinha uma vida boa, alimentou o coiote e como ele enterrou o resto do corpo da ovelha no adubo que vai para o solo alimentar os vegetais". Eu acho que esse é um ótimo exemplo do ciclo fechado da vida; Não existe um verdadeiro vegetariano, suas plantas precisam de animais mortos para crescerem.

O nível de consciência e inteligência expresso pelos animais está em uma escala variável, dependendo de muitos fatores, como espécies e comportamento instintivo, mas as plantas também estão nessa escala. Pode surpreendê-lo saber que algumas plantas são capazes de excretar veneno quando sentem que suas folhas estão sendo mastigadas. As substâncias excretadas podem ser apanhadas por outras espécies, para que possam aumentar pró-ativamente suas defesas. Algumas plantas capturam ativamente presas de insetos vivos, e novas pesquisas nos dizem que as plantas podem ser anestesiadas, algumas até mesmo são capazes de aprender!



Em um estudo interessante, a Mimosa é uma planta - que se parece com uma samambaia - encolhe suas folhas temporariamente quando é perturbada. O estudo montou uma engenhoca que derrubaria a planta da mimosa, sem machucá-la. Quando a planta caia - como esperado - suas folhas desmoronavam. A engenhoca continuou a derrubar as plantas a cada cinco ou seis segundos e, depois de algumas gotas, a planta não respondeu mais. Aprendeu rapidamente que cair não era uma ameaça. Um procedimento de controle também testou se a planta simplesmente se cansou, mas ainda assim respondeu a um estímulo inesperado.


Algumas árvores demonstram um comportamento "social" e transferem nutrientes de árvores mais antigas para outras que tentam começar na vida, através de redes de fungos micorrízicos subterrâneos. Isso foi chamado de 'wood wide web'.

A ciência pode nos oferecer vislumbres, mas na verdade, nós não entendemos completamente quanta dor o búfalo que está sendo "mastigado" por esses leões está realmente "sentindo" mais do que entendemos o quanto "estresse" está sendo sentido por uma planta tendo os membros destroçados. É tudo sobre graus de percepção e tendemos a assumir que aqueles com mecanismos semelhantes aos humanos transmitem e compreendem mensagens corporais sentem dor, e aqueles menos familiares para nós não sentem. Nós certamente não podemos dizer que os animais entendem a morte e sentem dor e as plantas não, e de qualquer maneira que animais contam? Apenas aqueles fofos com expressões faciais semelhantes a humanos sentem estresse e dor?

Somos todos parte deste ciclo de nascimento, morte e decadência e tudo bem. Vamos nos ater ao horror de ver a gazela bebê sendo comida pelo lobo no programa de vida selvagem. Tente aceitar e entender melhor que os animais velhos ou fracos que não são apanhados por predadores morrerão de fome lentamente porque não podem se alimentar sozinhos. E pare de se enganar de que de alguma forma podemos garantir que todos os animais do mundo morram "humanitariamente" - os animais não são humanos. O que sabemos sobre o gerenciamento da morte de qualquer maneira, alguns dos meus queridos parentes que eu testemunhei falecerem, com certeza não morreram de forma "humana"!

Somos nós que projetamos nossos ideais de uma morfina para amenizar a dor de um animal que não pensa sobre a morte até o fim estar próximo, e então simplesmente a aceita quando a luta pela sobrevivência termina.

Devemos parar de nos enganar dizendo que há uma linha limpa sobre a qual os que escolhem comer carne são responsáveis ​​por ferir os animais e por trás dos quais os veganos estão moralmente "exonerados"; nenhuma linha existe.

Eu respeito qualquer um que aja em nome de uma causa - mesmo que, na minha opinião, a metodologia deles esteja fora do alvo. Minha maior esperança é que possamos economizar a energia desperdiçada em argumentos e táticas que nos distraem do propósito maior e nos unamos para alcançar os 90% dos objetivos que tanto os onívoros éticos quanto os vegetarianos compartilham; ver animais domesticados tratados respeitosamente e alimentar o mundo sem destruir o planeta.

Eu não estou defendendo desesperadamente um mau hábito porque sou fraca demais para desistir. Acredito sinceramente em meus anos de pesquisa sobre nutrição humana, minha formação em agricultura e meu treinamento como conservacionista de que comer carne deve fazer parte de um sistema alimentar sustentável e de uma dieta saudável. Com isso em mente, assumi o papel de tentar fazer com que os comedores de carne troquem carne cultivada em fábrica por carne criada eticamente e de forma sustentável. Pode parecer um pouco imaginário para alguns, mas vejo esse trabalho como uma campanha para um melhor bem-estar humano e animal e uma maneira de salvar o planeta.

Seja comprando um bife gerenciado de forma holística ou escolhendo verduras de origem orgânica em vez de hambúrgueres de soja convencionais, todos votamos com nossas ações e nosso dinheiro.

Fonte: http://bit.ly/2yDzNPE

Comentários