À medida que a quantidade de carne vermelha que os Neozelandeses comem diminui, as hospitalizações por anemia por deficiência de ferro aumentam

O Conselho de Saúde do Distrito de Waikato registrou o dobro de diagnósticos de anemia por deficiência de ferro na última década, de 951 em 2008 para 1986 no ano passado e 1.725 em novembro de 2018. O custo do tratamento pelo DHB aumentou de US$ 668.000 em 2008 para US$ 1,6 milhão no ano passado.

Os dados da mais recente OCDE e da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação mostram que, nos 10 anos até 2017, o consumo anual médio de carne vermelha da população neozelandesa caiu 22kg e o consumo de cordeiro e carneiro também caiu 15,3kg.

Jessica Featherstone foi diagnosticada pela primeira vez com anemia por deficiência de ferro quando tinha 14 anos. Depois de um período de 2 anos como vegetariana, levou anos para o ferro voltar ao normal. Uma década depois, ela toma suplementos diariamente e come carne vermelha pelo menos 2 vezes por semana. Featherstone lembra de ser atormentada por tontura e uma fadiga inabalável. Sua pele ficou pálida com uma "coloração amarelada" com círculos escuros sob os olhos.

A mudança de estilo de vida como resultado da mudança demográfica da Nova Zelândia pode estar contribuindo para o aumento da anemia, disse Claire Badenhorst, pesquisadora de deficiência de ferro de Massey. Um aumento no vegetarianismo poderia ser um dos motivos também. "Há potencialmente uma correlação entre esse declínio na ingestão de carne", disse Badenhorst. "Mais pessoas estão adotando um estilo de vida vegetariano e vegano. Esse é um ponto a ser considerado."

O ferro em produtos de origem animal, como a carne vermelha, é geralmente absorvido mais facilmente do que o ferro à base de plantas. Os sintomas de baixo teor de ferro são sutis no início, então as pessoas costumam demorar muito para serem verificadas por um profissional de saúde, disse Badenhorst.

A anemia por deficiência de ferro é algo que precisa ser levado muito a sério. Ela não deve ser menosprezada.

Fonte: https://bit.ly/2TLsm1a

Comentários