Por que as mulheres prosperam com a proteína animal?

por Lara Briden, médica naturopata com 20 anos de experiência em saúde feminina.

Como bióloga e clínica, sou uma pessoa prática. Eu não aderi a nenhuma teoria em particular ou "filosofia de dieta", mas estou aberta a qualquer forma de comer que comprovadamente apoie a vitalidade e o bem-estar de meus pacientes.

Para mim, esse o teste fundamental é: “Essa dieta está funcionando para meu paciente? Ela está se nutrindo? Ela está prosperando? Esta dieta está apoiando a ovulação regular e a menstruação saudáveis?” Uma das poucas dietas alimentares completas que rotineiramente não passam no meu teste de “pacientes que prosperam” é uma dieta exclusivamente vegetariana ou baseada em vegetais. Ao longo dos anos, conversei com muitas pacientes que queriam ter uma dieta vegana, mas não o fizeram. Em vez disso, sentiram-se bem durante 6 a 12 meses e depois começaram a sentir problemas como fadiga e períodos irregulares.

Quando algumas dessas pacientes finalmente voltaram a comer animais, elas disseram coisas para mim como: "Desde que voltei para uma dieta de proteína animal, não consigo descrever a energia que tenho!" "Se eu não comer bastante proteína, acabo no chão em lágrimas." "A carne, como mulher, faz você se sentir muito melhor." "Os veganos realmente deveriam dizer o quanto você vai se sentir mal com essa dieta." Estas são apenas anedotas, é claro. Alguns dos meus leitores insistem que se dão bem com uma dieta vegana, e talvez isso seja verdade, mas eu não falei pessoalmente com nem mesmo uma paciente que estava prosperando com uma dieta vegana de longo prazo.

Eu digo "a longo prazo" porque uma dieta vegan de curto prazo pode trazer benefícios como pele mais clara, períodos mais leves e maior clareza mental - benefícios que quase certamente vêm de evitar laticínios, não carne.

Podemos dizer com segurança que as mulheres precisam de proteína animal pelo menos tanto quanto os homens - e talvez até mais. Porquê mais? Porque, por um lado, as mulheres têm uma exigência maior do que os homens para o aminoácido taurina.
A taurina é um importante nutriente envolvido não apenas na síntese de proteínas, mas também na osmorregulação, desintoxicação, estabilização da membrana e saúde do cérebro. O corpo contém até 70g de taurina ao mesmo tempo, e a maior parte disso precisa vir de proteína animal. Embora seja possível sintetizar uma certa quantidade de taurina da cisteína e da metionina, não é fácil fazê-lo e é por isso que a taurina é um “aminoácido condicional”. Condicional significa que a taurina pode ser produzida pelo corpo, mas não sob certas circunstâncias como: estresse, resistência à insulina ou comprometimento da função hepática.

Taurina também não pode ser feita na presença de uma grande quantidade de estrogênio, e assim as mulheres que tomam estrogênio exógeno (como a pílula anticoncepcional) precisam de mais taurina!

A outra razão pela qual as mulheres podem ter um requisito especial para a proteína animal é que temos o enorme desafio metabólico de precisar ovular a cada mês. A ovulação requer uma nutrição ideal, não apenas para o evento real (que consome muita energia), mas também para a sinalização hormonal que regula a ovulação. A regulação acontece no hipotálamo, que está constantemente monitorando a disponibilidade de alimentos e decidindo se há nutrição suficiente para fazer um bebê.

As mulheres precisam ser totalmente nutridas para serem capazes de ovular regularmente. Isso inclui obter macronutrientes adequados, especialmente proteínas, além de micronutrientes adequados, incluindo zinco, ferro, selênio, vitamina A e iodo. Esses pouco disponíveis a partir de alimentos à base de plantas, mas eles são abundantes a partir de alimentos de origem animal, como carne, ovos e peixe.

Em conclusão, eu costumo pedir as minhas pacientes que consumam produtos de origem animal para melhorar sua saúde hormonal, e vejo bons resultados.

Às vezes eu encontro uma paciente que sente que ela não vai comer produtos de origem animal e eu não a pressiono. Em vez disso, eu digo: "A escolha é sua, é claro, mas vamos ter que diminuir nossas expectativas sobre o quão saudável você pode ser."

Fonte: https://bit.ly/2Q11bOn

Comentários