Resposta metabólica de pessoas com diabetes tipo 2 a uma dieta rica em proteínas

Recentemente, concluíram um estudo em que a proteína da dieta aumentou de 15% para 30% da energia total dos alimentos. O teor de carboidratos foi reduzido de 55% para 40%, ou seja, a proteína da dieta substituiu parte do carboidrato. Isso resultou em uma diminuição significativa na Hemoglobina Glicada total, uma diminuição nas concentrações de glicose pós-prandial e um aumento modesto na concentração de insulina. A função renal foi inalterada.

Atualmente, também estão determinando a resposta metabólica a uma dieta em que o teor de carboidratos é reduzido ainda mais para 20% da energia total dos alimentos. A diminuição percentual da HbA1c foi ainda mais dramática do que com a dieta com 40% de carboidratos.

Conclusão: A partir destes dados, concluíram que o aumento do teor de proteína da dieta em detrimento do carboidrato pode reduzir a concentração de glicose no plasma integrada de 24 horas, pelo menos durante um período de 5 semanas. A redução foi semelhante à dos agentes orais. A função renal não foi afetada significativamente. Assim, aumentar o teor de proteína da dieta com uma diminuição correspondente no conteúdo de carboidratos é potencialmente uma forma de empoderamento do paciente de reduzir a hiperglicemia presente com diabetes mellitus tipo 2, independente do uso de agentes farmacêuticos.

Resultados de uma modificação adicional no conteúdo de macronutrientes.

Mais recentemente, completamos o estudo comparando uma dieta experimental com a dieta padrão, durante um período de 5 semanas. Na dieta experimental, a proteína foi aumentada de 15% para 30%, como no estudo acima. No entanto, neste estudo, o teor de carboidratos diminuiu de 55% para 20% da energia total dos alimentos e o teor de gordura aumentou de 30% para 50%. Os sujeitos estudados eram pessoas com diabetes tipo 2 não tratado. Foi uma dieta de manutenção de peso, com um design cruzado randomizado. A redução do percentual da HbA1c foi ainda mais dramática (9,8 para 7,6%).

Fonte: http://bit.ly/2JUj3u4

Comentários