A Ética de Comer Carne


A vida é cruel, é difícil e não é justa. Nós que escolhemos viver devemos aceitar que haverá momentos em nossas vidas que devemos ser cruéis, duros e injustos - esse é o fardo e o peso do manto de nossa responsabilidade. Isso vem do nosso papel como o tipo singular de ser que possui a capacidade de escolher - daí vem o imperativo de fazermos escolhas difíceis.

O desejo de escapar do sofrimento é, em essência, o desejo de abdicar da responsabilidade. No coração da moral que procura não causar dano está o desejo de se libertar do medo da punição e da culpa que vem da própria ação. Cada escolha que fazemos tem consequências, e toda ação gera uma reação oposta. Não há como fugir desse karma, ninguém escapa da morte.

Como criaturas vivas e volitivas, estamos (quer saibamos ou não) constantemente fazendo escolhas que levam à vida ou levam à morte. Toda vez que você come, você consome algo que antes era vida - a vida se alimenta de vida. Toda vez que você come, outra coisa morre e é consumida. A vaca não tem pena do lírio enquanto devora, e o lobo não tem pena da vaca. Nós, no entanto, temos a capacidade de sentir, e assim ganhamos o fardo do carrasco.

Até mesmo o desejo de comer apenas plantas é um compromisso - porque também são seres vivos. É uma escolha intermediária entre negar a verdade de que somos fundamentalmente predadores, e o total compromisso com a fome e o suicídio para evitar tirar outra vida. A questão aqui é de valores - temos que não apenas aceitar que nossas vidas são inerentemente mais valiosas do que as vidas de qualquer outra criatura, mas também aceitar que isso não é nada para se envergonhar.

Você nunca deve sentir vergonha de viver, e nunca deveria sentir vergonha de amar a vida. Este mundo é seu, e você é feito para viver nele, e você é feito para ser o mestre dele. Se não fosse esse o caso, seríamos a presa de qualquer criatura que fosse superior a nós.

Você aceitará a verdade da realidade ou fugirá da sua verdadeira natureza através de uma vida que não é verdadeiramente vivida em uma sepultura insensível? A escolha é sua.

Fonte: http://bit.ly/2JPIPjj

Comentários