A diferença entre proteína vegetal e animal e como se relaciona com o meio ambiente


Muitas vezes ouvimos que a pecuária é o grande culpado pelas mudanças climáticas e pela degradação ambiental. Mas o Dr. Peter Ballerstedt argumenta contra essa alegação em sua apresentação do Low Carb USA 2017, e mostra como ruminantes (como vacas) podem ser parte da solução.

Nem todas as proteínas são criadas da mesma forma. Quando você vê um valor de proteína em alguns alimentos, por favor, lembre-se que é quase certamente um valor de proteína bruta. E proteína bruta é nada mais do que o teor total de nitrogênio em um alimento em uma base de matéria seca multiplicada por 6,25.

Sim, você tem um pouco mais no feijão do que em uma quantidade equivalente de músculo de carne cozida, mas quando você começa a olhar para a digestibilidade você vê que existem diferenças significativas.

Só porque você pode digeri-lo e absorvê-lo, não significa que seu corpo possa usá-lo. Há algo chamado valor biológico e quando você aplica isso, o que você vê é uma diferença tripla em proteína utilizável de quantidades equivalentes de alimentos.

Animais em todo o mundo produzem cerca de 1kg ou 1 libra de proteína para cada 1,4kg ou 1 libra de proteína consumida.

Então sim, é preciso mais para fazer 1kg de proteína animal, mas o valor biológico de proteína em alimentos de origem animal é cerca de 1,4 vezes maior do que de origem vegetal.

Nós não evoluímos para comer carne, nós evoluímos porque comíamos carne.

Comentários