Glicose no sangue em jejum e risco de derrame: uma metanálise de dose-resposta.


Um número crescente de estudos mostrou que a glicose no sangue em jejum está relacionada ao risco de acidente vascular cerebral; no entanto, a associação dose-resposta entre a glicose no sangue em jejum e o risco de acidente vascular cerebral ainda não está clara. Consequentemente, conduziram uma metanálise de dose-resposta para avaliar a relação entre a glicose no sangue em jejum e o risco de AVC, resumindo os estudos de coorte.

Métodos: Nos bancos de dados PubMed e Embase foram pesquisados ​​estudos relacionados (até outubro de 2020). Estudos de coorte examinando a influência da glicose no sangue em jejum no risco de acidente vascular cerebral foram resumidos. Uma relação dose-resposta foi determinada usando um modelo de efeito aleatório.

Resultados: Dezoito estudos de coorte envolvendo 2.555.666 participantes foram incluídos. O risco relativo agrupado para as categorias de alto versus baixo foi 1,79 (IC 95%: 1,68-1,91) em todas as pessoas e 1,16 (IC 95%: 1,11-1,21) em pessoas não diabéticas. Além disso, houve uma relação não linear entre a glicemia de jejum e o risco de AVC. A incidência de acidente vascular cerebral foi reduzida ao seu ponto mais baixo quando o nível de glicose no sangue em jejum era de 70-100 mg/dL.

Conclusão: A glicemia de jejum foi positivamente relacionada ao risco de AVC, com uma relação dose-resposta não linear.

Fonte: https://bit.ly/3jLjAgk

Um comentário:

  1. E quando muitos de nós, cetônicos, apresentamos o fenômeno fisiológico do alvorecer ( glicemia alta sem diabetes)?

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.