Ingestão de carne processada e incidência de câncer colorretal: uma revisão sistemática e metanálise de estudos prospectivos observacionais.


O objetivo foi usar evidências acumuladas para explorar a associação entre ingestão de carne processada e risco de câncer colorretal (CCR) e investigar a confiabilidade das associações, avaliando padrões de risco por características da população em estudo e parâmetros de qualidade da pesquisa.

Foram incluídos 29 estudos de coorte prospectivos observacionais com estimativas de risco relativo e intervalos de confiança de 95% para a CRC, de acordo com vários níveis de consumo de carne processada. O risco de viés foi avaliado usando a ferramenta Risco de viés em estudos não randomizados de intervenções (ROBINS-I).

As fontes de dados foram PubMed e Embase até janeiro de 2017. Os riscos relativos resumidos para alto e baixo consumo de carne processada e risco de CRC, cólon e câncer retal foram 1,13 (IC 95%: 1,01, 1,26), 1,19 (IC 95%: 1,09, 1,31) e 1,21 (IC 95%: 0,98, 1,49), respectivamente. Estimativas semelhantes foram observadas para as análises dose-resposta. A heterogeneidade entre os estudos foi detectada na maioria dos modelos analíticos.

O julgamento geral mostrou que 2 dos 29 estudos tinham um risco moderado de viés, 25 tinham um risco sério de viés e 2 tinham um risco crítico de viés.

Os domínios de viés mais frequentemente avaliados como críticos foram os de risco de confusão, os de falta de dados e o de seleção de resultados. Embora essa meta-análise indique uma associação modesta entre a ingestão de carne processada e um risco aumentado de CCR, nossa avaliação da validade interna justifica uma interpretação cautelosa desses resultados, pois a maioria dos estudos incluídos foi considerada como tendo riscos sérios ou críticos de viés.

Fonte: https://bit.ly/3dngr41

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.