Outro estudo fraco contra a carne



Outro estudo de nutrição observacional que não contribui para uma discussão relevante de saúde.

"The American Journal of Clinical Nutrition: Proteínas dietéticas e fontes de proteína e risco de morte: o Estudo do Fator de Risco para Doença Cardíaca Isquêmica de Kuopio"

Desta vez, o estudo foi da Finlândia, onde os pesquisadores recrutaram 2.600 homens nos anos 80 e os seguiram por impressionantes 22 anos. Mais uma vez, no entanto, eles avaliaram sua ingestão alimentar apenas 1 vez e nunca mais. 1 avaliação dietética em 22 anos. Quão preciso isso soa para você? Logo, devemos perceber que estamos lidando com os dados de qualidade mais baixos possíveis e precisamos questionar os resultados.

No entanto, aqui está a melhor parte. De acordo com o resumo, "a ingestão de proteína total e proteína animal teve associações significativas limítrofes com o aumento do risco de mortalidade". Qual é a outra maneira de dizer "associações significativas limítrofes"? Nenhuma associação. Simplesmente não foi estatisticamente significativo. Foi um resultado nulo sem aumento significativo do risco de mortalidade associado ao aumento do consumo de proteína animal.

Estudos de epidemiologia nutricional com baixas razões de risco (abaixo de 2.0) podem ser estatisticamente significativos, mas raramente são clinicamente significativos, pois os resultados são provavelmente de ruído estatístico e falso. Neste estudo, no entanto, não foi estatisticamente significativo e muito menos clinicamente significativo.

Quando eles olharam especificamente para a carne, houve uma fraca associação estatística em 1,23, ainda fraca o suficiente para ter muito significado. Adicione a essas estatísticas precárias o viés do usuário saudável e outros fatores de confusão, e deve ficar claro que este estudo não fornece nenhuma contribuição significativa para a ciência nutricional.

Por que os periódicos continuam publicando esses estudos observacionais? Estudos como este apenas confundem mais do que ajudam.

Fonte: http://bit.ly/2KBL4sl

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.