Produtos animais não processados diminuem o risco de uma pessoa sofrer um derrame


Os pesquisadores afirmam que estudos anteriores ligando as dietas ricas em gordura a doenças cardíacas foram falhos, com descobertas mais recentes sugerindo que as gorduras saturadas podem não ser tão prejudiciais quanto se pensava.

Falando sobre os resultados, o professor Salim Yusuf, da McMaster University, em Hamilton, Canadá, disse: "Pensar no que constitui uma dieta de alta qualidade para uma população global precisa ser reconsiderada. Por exemplo, nossos resultados mostram que os laticínios e a carne são benéficos para a saúde e a longevidade do coração. Isso difere do conselho dietético atual."

Os pesquisadores analisaram 5 estudos com um total de mais de 218.000 participantes de mais de 50 países nos 5 continentes.

O co-autor do estudo, Mahshid Dehghan, disse: "Nossos resultados parecem se aplicar a pessoas de diferentes partes do mundo e, portanto, as conclusões são aplicáveis globalmente".

Os resultados sugerem que as pessoas com dietas da mais alta qualidade, que incluem produtos animais e vegetais não processados, correm menos risco de sofrer um ataque cardíaco, derrame ou insuficiência cardíaca. Esses planos alimentares também reduzem o risco de uma pessoa morrer prematuramente, de um evento relacionado ao coração ou de outra forma.

O co-autor Dr. Andrew Mente disse: "As pessoas que consumiram uma dieta enfatizando frutas, verduras, nozes, legumes, peixe, produtos lácteos e carne tiveram os menores riscos de doença cardiovascular e morte prematura."

"Em relação à carne, descobrimos que a carne não processada está associada a um benefício".

Os resultados de um dos estudos, que foi composto por 135.335 pessoas, descobriram que aqueles que dependem de carboidratos para 60% de sua energia, com pouca gordura saturada, são mais propensos a morrer cedo.

Fonte: https://dailym.ai/2wkmZNi

Comentários