Quer um coração mais saudável? Coma um bife!

Por Bret Scher

Sou cardiologista e encorajo os pacientes a comerem carne vermelha. É hora de parar de demonizar o bife.

A comunidade médica desaprova os tipos de gorduras saturadas encontradas na carne, laticínios e óleo de coco. A Associação Americana do Coração recomenda evitar a carne vermelha - e se as pessoas insistirem em comê-la, devem "selecionar os cortes mais magros". As diretrizes nutricionais federais sugerem que menos de 10% das calorias diárias venham de gorduras saturadas, enquanto a AHA recomenda Menos.

Essas recomendações nunca foram apoiadas por pesquisas rigorosas. A ideia de que gorduras saturadas causam doenças cardíacas vem de estudos observacionais onde os pesquisadores pediram aos participantes para preencher questionários sobre seus hábitos alimentares e selecionaram dados para apoiar essa conclusão.

Nos últimos anos, numerosas equipes de pesquisadores em todo o mundo revisaram todos os dados sobre as gorduras saturadas e concluíram que essas gorduras não têm nenhum efeito sobre a mortalidade cardiovascular.

Ainda mais revelador é um recente estudo clínico controlado em pessoas com diabetes tipo 2 realizado com evidências de alta qualidade. Pesquisadores da Universidade de Indiana descobriram que minimizar os carboidratos enquanto estimulam a gordura (incluindo a gordura saturada) realmente reverteu o diabetes em 60% dos pacientes após um ano. A dieta também reduziu a inflamação e triglicérides e aumentou o HDL todos fortes indicadores de melhoria da saúde cardíaca e metabólica.

Pesquisas adicionais apontam especificamente para os benefícios potenciais de comer carne vermelha enquanto se reduz os carboidratos. Dois estudos liderados por pesquisadores da Universidade da Austrália Ocidental descobriram que a substituição de alimentos ricos em carboidratos por carne vermelha reduz a inflamação e a pressão sanguínea.

Então, se você está procurando proteger seu coração, acenda a grelha e cozinhe um hambúrguer, mas evite o pão.

Fonte: https://bit.ly/2xBRlL4

Comentários