99,99% dos pesticidas que ingerimos são produzidos pelas próprias plantas

A palavra pesticida é mal entendida, quase na mesma medida que a palavra química. As pessoas têm sido levadas a acreditar, em grande parte pela indústria de alimentos orgânicos e ativistas ambientais, que os pesticidas são antinaturais, perigosos e não pertencem ao suprimento de alimentos. Mas isso desafia uma compreensão básica da biologia.

Um pesticida é qualquer produto químico, natural ou feito pelo homem, projetado para matar outro organismo.

Usando essa definição ampla, provavelmente existem centenas de milhares de pesticidas no ambiente natural. Acontece que a guerra biológica foi inventada e aperfeiçoada pela Mãe Natureza.
Por exemplo, algumas bactérias e fungos produzem antibióticos para matar outros micróbios. Nós não chamamos esses antibióticos de "pesticidas", mas é exatamente isso que eles são. Para uma célula bacteriana, um micróbio de uma espécie diferente é muitas vezes nada mais que uma praga competitiva que deveria morrer. Então, ela produz produtos químicos com a intenção de matá-lo. Isso é um pesticida.

As plantas fazem a mesma coisa. Do ponto de vista de uma planta, muitos insetos nada mais são do que parasitas perigosos que comem folhas e que deveriam morrer. Assim, as plantas produzem inseticidas, como cafeína e nicotina, para manter afastados aqueles desagradáveis vegetarianos de 6 patas.

E adivinha? Quando comemos plantas, também comemos esses pesticidas. Um artigo co-escrito em 1990 pelo venerável Bruce Ames descobriu que 99,99% dos pesticidas que consumimos em nossa dieta são produzidos pelas próprias plantas. Dada a popularidade dos alimentos orgânicos e a mitologia não científica subjacente, suas descobertas são mais relevantes agora do que nunca.

De acordo com a equipe do Dr. Ames, cada planta produz aproximadamente algumas dezenas de toxinas, algumas das quais (com uma dose alta o suficiente) seriam tóxicas para os seres humanos. O repolho produz pelo menos 49 pesticidas conhecidos. Dada a onipresença de pesticidas naturais, o Dr. Ames estima que "os americanos comem cerca de 1,5 g de pesticidas naturais por pessoa por dia, o que é cerca de 10.000 vezes mais do que eles comem de resíduos de pesticidas sintéticos".
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Além disso, o Dr. Ames estima que consumimos entre 5.000 a 10.000 pesticidas naturais diferentes todos os dias, muitos dos quais causam câncer quando testados em animais de laboratório. Ele escreveu o seguinte parágrafo:
"Os carcinógenos de roedores estão presentes nos seguintes alimentos: anis, maçã, damasco, banana, manjericão, brócolis, couve de bruxelas, repolho, melão, alcaravia, cenoura, couve-flor, aipo, cerejas, canela, cravinho, cacau, café, couve, chá de ervas confrei, groselha, endro, berinjela, endívia, erva-doce, sumo de toranja, uvas, goiaba, mel, melão, repolho, couve, lentilhas, alface, manga, cogumelos, mostarda, noz-moscada, suco de laranja, salsa, pastinaca (raiz), pêssego, pêra, ervilha, pimenta preta, abacaxi, ameixa, batata, rabanete, framboesas, alecrim, sementes de gergelim, estragão, chá, tomate e nabo. Assim, é provável que quase todas as frutas e verduras do supermercado contenham pesticidas vegetais naturais que são cancerígenos para roedores. Os níveis desses carcinogênicos de roedores nas plantas acima são comumente milhares de vezes mais altos que os níveis de pesticidas sintéticos."
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Deve-se ter em mente que para cada pesticida sintético que o homem criou, a Mãe Natureza criou algo pior. E você provavelmente come regularmente.

Fonte: https://bit.ly/2HNAPyi

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.