Efeito dose-dependente da restrição de carboidratos para o manejo do diabetes tipo 2: uma revisão sistemática e meta-análise de dose-resposta de ensaios clínicos randomizados.

Uma imagem vale mais que mil palavras! Efeito dose-dependente da restrição de carboidratos na HbA1c (%) em pacientes com diabetes tipo 2 nos 6 meses de acompanhamento (n = 29 estudos).

A restrição de carboidratos é eficaz para o controle do diabetes tipo 2.

Objetivos: Avaliar o efeito dose-dependente da restrição de carboidratos em pacientes com diabetes tipo 2.

Métodos: Pesquisaram sistematicamente no PubMed, Scopus e Web of Science até maio de 2021 para ensaios controlados randomizados avaliando o efeito de uma dieta com restrição de carboidratos (≤45% do total de calorias) em pacientes com diabetes tipo 2. O desfecho primário foi hemoglobina glicada (HbA1c). Os desfechos secundários incluíram glicemia de jejum (FPG); peso corporal; colesterol total, LDL e HDL no soro; triglicérido (TG); e pressão arterial sistólica (PAS). Realizaram meta-análises de dose-resposta de efeitos aleatórios para estimar as diferenças médias (MDs) para uma diminuição de 10% na ingestão de carboidratos.

Resultados: Cinquenta ensaios com 4.291 pacientes foram identificados. Aos 6 meses, em comparação com uma ingestão de carboidratos entre 55%-65% e através de uma redução máxima de até 10%, cada redução de 10% na ingestão de carboidratos reduziu a HbA1c (MD, -0,20%; IC 95%, -0,27% para - 0,13%), FPG (MD, -0,34 mmol/L; IC 95%, -0,56 a -0,12 mmol/L) e peso corporal (MD, -1,44 kg; IC 95%, -1,82 a -1,06 kg). Houve também reduções no colesterol total, colesterol LDL, TG e PAS. Os níveis de HbA1c, FPG, peso corporal, TG e PAS diminuíram linearmente com a diminuição da ingestão de carboidratos de 65% para 10%. Um efeito em forma de U foi observado para o colesterol total e o colesterol LDL, com a maior redução em 40%. Aos 12 meses, uma redução linear foi observada para HbA1c e TG. Um efeito em forma de U foi observado para o peso corporal, com a maior redução em 35%.

Conclusões: A restrição de carboidratos pode exercer uma redução significativa e importante nos níveis de fatores de risco cardiometabólicos em pacientes com diabetes tipo 2. Os níveis da maioria dos desfechos cardiometabólicos diminuíram linearmente com a diminuição da ingestão de carboidratos. Efeitos em forma de U foram observados para o colesterol total e colesterol LDL aos 6 meses e para o peso corporal aos 12 meses.

Fonte: https://bit.ly/3wm0qXt

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.